Pesquisar este blog

18 dezembro 2007

Desejo na madrugada


Há momentos na vida em que nada parece ter sentido. Apesar das coisas atraentes mostradas na televisão o dia inteiro, dos agitos anunciados como salvação da humanidade para nossa inesquecíveis noites, etc. Nada! Chega a madrugada e fazemos uma bela descoberta: nada não só parece não ter, como não tem mesmo nenhum sentido.

O que fazer para vencer a monotonia e melancolia que surgem nesses momentos? Tem gente que se desespera e aceita a primeira pregação religiosa que encontrar na esquina. Sai de uma chatice para entrar noutra. Eu proponho um caminho de sensatez para não aceitar a amolação destes pseudo-salvadores da raça humana.

Que tal ouvir música?

Good!!!!! Que música? Rock'n'roll, ora bolas.

É mole ou quer mais?
Aroldo José Marinho

Desejo na madrugada

Aroldo José

Já é madrugada e eu continuo aqui,

Escrevendo novos versos sobre um velho sentimento:

A dor de querer e não pode fazer

O mundo dançar no ritmo de um bom rock'n'roll.


Devo dormir mas não quero sonhar de novo

Aquele filme onde sou o mocinho ingênuo

Que foi condenado a assistir filmes de terror.

Quero ter olhos para contemplar seu sorriso,

Ouvidos para escutar sua boca dizendo

Que hoje faremos revolução.


Todo mundo escuta o bater do tambor

Mas minha cabeça insiste em não dançar

Na tribo do índio neo-capitalista


Enquanto houver folia de boi e de vaca.

Celebrarei a loucura de alguém assim

Que não se perder de si próprio

Nem deixar que a mídia envolva

A certeza de que, depois do novo dia,

Eu serei muito feliz, após descobrir,

Que meu estilo é de louco aprendiz.

Belém, 28/110/96


2 comentários:

Ivan Daniel disse...

Parafraseando Os Mutantes, dizem que tu és louco, mas louco é que diz que não é feliz. Tu és feliz!

Harold disse...

Salve nobre argentino! Sin dudas, tu opinnion tiene mucha verdad. La locura siempre puede ser asumida por las personas que amam los contenidos artisticos.
Gracias!