Pesquisar este blog

03 maio 2010

Por fim

Boa tarde!
Saúdo os leitores e as leitoras do blog. Também peço desculpas pela demora em fazer novas postagens. Minha justificativa é nobre: no momento, ando envolvido com as correções de provas dos alunos das duas instituições onde leciono. Essa tarefa consome o meu tempo e me traz algum cansaço.

Porém, para não deixar de oferecer alguma satisfação para vocês, vim aqui, quase correndo, lhes oferecer um poema de Oswald de Andrade (foto). Quem é ele? Um dos maiores poetas deste país. Num outro dia, poderei oferecer uma biografia detalhada sobre este gênio. Por hora, informo que ele é, nada mais, nada menos do que um dos organizadores da Semana de Arte Moderna, realizada em 1922, em São Paulo. Como vocês sabem, este movimento é um dos eventos culturais mais relevantes na história do Brasil.

Segue um poema de Oswald. Espero que apreciem e que escrevam seus comentários.

Beijos e vida!
Harold

Por fim
Oswald de Andrade
Fatigado
Das minhas viagens pela terra
De camelo e táxi
Te procuro
Caminho de casa
Nas estrelas
Costas atmosféricas do Brasil
Costas sensuais
Para vos fornicar
Como um pai bigodudo de Portugal
Nos azuis do clina
Ao solem nostrum
Entre raios, tiros e jaboticabas.









2 comentários:

christiane disse...

Nosso velho colega "SAB" Harold,

Impossível falar de Oswald de Andrade e não mencionarmos a linda poesia regionalista "Canto de regresso à pátria":


Minha terra tem palmares
Onde gorjeia o mar
Os passarinhos daqui
Não cantam como os de lá
Minha terra tem mais rosas
E quase que mais amores
Minha terra tem mais ouro
Minha terra tem mais terra
Ouro terra amor e rosas
Eu quero tudo de lá
Não permita Deus que eu morra
Sem que volte para lá
Não permita Deus que eu morra
Sem que volte pra São Paulo
Sem que veja a Rua 15
E o progresso de São Paulo.

Bruno e Chris

Harold disse...

Valeu Bruno e Chris!
Me alegro com a visita e vocês ao blog. Anuncio que usarei o texto que vocês frisaram para uma próxima postagem.
Tudo de bom!