Pesquisar este blog

05 setembro 2008

Viver


Hoje eu lhes ofereço um poema de Mário Quintana. Gaúcho de Alegrete, nascido em 1906. Considerado um dos mais importantes poetas brasileiros. Seu trabalho me chama atenção pela ludicidade que emprega nas palavras. Em 1994, Quintana foi para o andar superior da existência, para habitar ao lado de Drummond, Bandeira, Pessoa e outros tantos poetas geniais.
Para alguns, o texto servirá como uma lembrança muito boa. Para outros, será uma feliz descoberta.
Boa leitura para vocês!
Harold

Viver
Mário Quintana
Quem nunca quis morrer
Não sabe o que é viver
Não sabe que viver é abrir uma janela
E pássaros, pássaros sairão por ela
E hipocampos fosforecentes
Medusas translúcidas
Radiadas
Estrelas-do-mar... Ah,
Viver é sair de repente
Do fundo do mar
E voar...
e voar
cada vez para mais alto
Como depois de se morrer.

3 comentários:

Ivan Daniel disse...

Quintana é maravilhoso.
Belíssimo poema!
Parabéns duas vezes: pela escolha do post e pelo teu aniversário hoje.

Harold disse...

Oi Daniel!
Agradeço suas duas vezes: pelo elogio dado ao poema e pelos votos de aniversário.
É um honra tê-lo entre os leitores deste humilde blog.
Tudo de bom sempre!!!

Paola Vannucci disse...

Aroldo

dono de sábias palavras o Quintana.......

bjs