Pesquisar este blog

02 outubro 2016

Edmilson e quem?

Faltam algumas horas para Belém saber quem serão os candidatos que, no segundo turno, permanecerão na disputa para a prefeitura. Pesquisa encomendada pela Tv Liberal ao Ibope e divulgada em 01/10 (http://g1.globo.com/pa/para/eleicoes/2016/noticia/2016/10/ibope-votos-validos-edmilson-tem-33-zenaldo-23-e-eder-mauro-20.html), confirmou a liderança que o candidato Edmilson Rodrigues (PSOL) mostrou ter na pesquisas anteriores. A vantagem de Rodrigues sobre demais competidores é de 33%. No segundo lugar, aparece Zenaldo Coutinho (PSDB) com 23%, buscando à reeleição, seguido por Éder Mauro (PSD), 20%. A vantagem do segundo candidato para o terceiro configura um empate técnico entre ambos. Resta esperar abertura das urnas para saber quem será o adversário de Rodrigues no próximo round eleitoral.

Terminado o primeiro turno, os competidores que irão para o turno seguinte, começarão a conversar com os adversários que ficarão de fora da disputa. Momento de aplacar as animosidades surgidas durante a campanha e acentuadas nos debates. Apesar da batalha particular entre Coutinho e Mauro, é provável que, pela lógica de alianças da atual política brasileira, o perdedor ofereça seu apoio para aquele que for enfrentar Rodrigues. Num ensaio de futurologia presume-se que o deputado do PSOL receberá apoio de partidos alinhados à esquerda (PT, PCdoB, PCB e PSTU). O bloco que adversário deverá ser integrado pelos partidos que demonstram ser mais afinados com o atual governo federal (PSDB, PMDB, PSD, PRTB e Rede). 

Todavia não se pode afirmar que tendência ideológica será concretizada. Há sempre possibilidade do PSTU, como em outras ocasiões optar por não apoiar nenhuma candidatura no segundo turno. Também é viável a Rede declarar neutralidade e assim por diante. Ou então, o PMDB rachar ao meio, com suas lideranças apoiando candidatos diferentes.

As preocupações dos candidatos passam a ser outras e bem maiores. Apesar de todas as projeções eleitorais indicarem que Rodrigues será vencedor no segundo turno, independente do adversário ser Coutinho ou Mauro, ele sabe que haverá fogo pesado em sua direção. Assim como agora, o socialista liderou a corrida eleitoral em 2012. Mas foi derrotado no segundo turno pela união de caciques da dupla PMDB e PSDB. Portanto, há necessidade de tornar mais efetiva sua campanha na reta final.

O prefeito Coutinho, além da clara preferência do eleitorado por Rodrigues, tem contra si a impopularidade de sua administração. Eleitores que estiveram com ele no pleito anterior declararam estar decepcionados e que optarão por outro candidato. Isso não significa que, necessariamente, esses votos irão para seu adversário socialista. Uma possibilidade plausível é que haja notável quantidade de votos em branco ou nulos no segundo turno.   

A sorte está lançada! Se não houver algum fator de última hora, haverá mudança na direção da prefeitura de Belém. Se Rodrigues for vencedor, a mudança poderá ser ampla, desde o estilo de administrar até as  prioridades da gestão. Todavia, se Mauro for o eleito, as mudanças, provavelmente, serão mínimas. Havendo, na verdade, somente a troca de gestor e a manutenção do estilo de administrar. 


Aroldo José Marinho




Nenhum comentário: