Pesquisar este blog

17 janeiro 2007

Entre os dois, nenhum!





A imprensa nacional vem noticiando, diariamente, sobre a eleição para a presidência da Câmara dos Deputados, que será realizada no 01 de fevereiro. Os candidatos ao cargos são os deputados Arlindo Chinaglia (PT) e Aldo Rebelo (PCdoB), ambos de São Paulo. Os dois fazem parte da base aliada do governo Lula no parlamento. Na prática, são farinhas do mesmo saco. Como não sou eleitor, esta disputa não deveria chamar minha atenção. Porém sou um brasileiro incoformado com os rumos da vida política nacional. Não posso me omitir.

Se eu fosse eleitor, certamante, não votaria no petista nem no comunista. Por que? Basta dar uma refrescada na memória e lembrar que, como membro da liderança do PT, Chinaglia fez a defesa veemente dos parlamentares envolvidos no escândalo do mensalão. Tentou convencer à opinião pública da inocência de José Dirceu e outros coleguinhas. Rebelo (que tenta a reeleição) não fica atrás. É verdade que não teve atuação tão desastrosa no caso do mensalão. Todavia não se pode esquecer da defesa feita por ele do aumento de 91% que os líderes partidários deram aos parlamentares. Detalhe: Chinaglia era um dos líderes defensores da medida. O vergonhoso aumento revoltou à sociedade, gerou os protestos mostrados em duas fotos da postagem e só foi superado por um ato da justiça federal.

Estes são os candidatos apoiados pelo presidente da república. Estranho que um governo que se pretende defensor das classes desfavorecidas tenha, entre seus colaboradores, políticos que parecem estar mais envolvidos na defesa de seus privilégios. Pior, quando se verifica quem são os apoiadores dos candidatos. Com Chinaglia estão o PMDB, o partido mais fisiológico do Brasil, e os partidos da base aliada do governo (PL, PTB, etc). Até Severino Cavalcanti, o nefasto, votou à ribalta para fazer campanha para o petista. Este, ao justificar o apoio a Chinaglia, disse que " deputado gosta de carinho". O carinho citado por ele é sinônimo de compensação financeira. Também não é possível esquecer que a maioria dos envolvidos no mensalão pertence à base governista. A candidatura de Rebelo tem como suporte os deputados do PFL. Que coisa irônica, um candidatura comunista ser alicerçada por um partido de direita.

Diante deste quadro pessimista, é importante que surja uma terceira candidatura que, de fato, represente, uma resposta a série de absurdos acontecidos na Câmara. Ontem (16/01), o grupo chamado de Terceira Via lançou a candidatura do deputado Gustavo Fruet (PSDB- PR). Segundo os analistas, a entrada de Fruet na eleição dá a certeza de que haverá segundo turno. Não sei ao certo. Tomara que sim. O pouco que conheço do deputado paranaense me faz ter certeza que sua entrada, trará um pouco de ética (artigo em falta na política nacional) à desgastada movimentação da Câmara.
Aroldo José Marinho

2 comentários:

Anônimo disse...

Caro Aroldo li com atenção seu comentario sobre a eleição da Camara dos deputados!É uma forma de se atenta a que se possa acontecer nesta eleição para presedência da Camara,vc com esta informação esta prestando um grande favor a muitos que são liegos e não estão atento quanto a este processo politico que vamos vivênciar agora primeiro de fevereiro.

Celso.

Harold disse...

Valeu Celso!
Seu comentário me trouxe alegria.
Um abraço!