Pesquisar este blog

02 janeiro 2007

Mudanças


Retomo o velho e saudável hábito de apresentar textos de poetas aos leitores do "blog". Hoje apresento "Mudanças", texto de Rêgo Júnior, poeta maranhense, radicado no DF. No trabalho dele, é possível perceber a influência (publicamente assumida) de Paulo Leminsky. Uma boa influência.
O texto foi publicado, anteriormente, no Recanto das Letras, na edição de 29/12/2006.
Leiam e depois façam comentários. O poeta saberá que emoção seu trabalho suscitou em vocês.
Aroldo José Marinho


MUDANÇAS
Rêgo Júnior
Tudo muda!
A lagarta vira borboleta,
voa, espalhando cores ,com sua asas Kandinskiana
Àgua muda : vira gelo, para esfriar a mente
Do mais terrivel serial killer,
ou alcoolizar o profundo depressivo
O tempo muda : de cor, clima, estação.
Até o ser, que antes era espermatogônia, hoje
É um humano, inadequado, insano .
tudo muda :
Até o mundo muda de rotação,
para transgredir com a lua
Muda o meu gostar,
se hoje lhe chamo de Cinderela,
amanhã,lhe deixo na contra-mao
para nao sofreres desilusão
Muda o sim, muda o não
Muda-se de sexo, gosto, religião
muda: planta,casa, direção.

6 comentários:

espauleta disse...

LindoO! Não conhecia esse!

Harold disse...

Espauleta. Este poema é bom. O Rêgo é um autor dos bons mesmo.
Fico contente com sua visita ao meu blog.
Espero que venha outras vezes.
Tudo de bom sempre!!!

Elisabete de Mello & Flexinha, A Gaby Duff Lancer disse...

Eu e esta poesia.

Para que eu chegasse até aqui, muitas pessoas foram ligadas neste poema.

Existem mais de duzentas teorias ...

Elisabete de Mello & Flexinha, A Gaby Duff Lancer disse...

Ah! Pq Espauleta esconde o rosto com as mãos?

Harold disse...

Bete! Doce Bete!
Acredito haver algumas verdades nas mais de duzentas teorias.
Quanto à pergunta sobre Espauleta, não sei responder.
Lhe devo essa.
Beijos!!!!

Harold disse...

Obrigado de novo.