Pesquisar este blog

24 março 2009

Bye Bye Clô!


Na terça-feira (18/03) a imprensa comunicou o falecimento do deputado Clodovil Hernandez (PR-SP). O parlamentar de 71 anos foi acometido por um Acidente Vascular Cerebral (AVC), sendo encontrado caído ao lado da cama. Foi internado, às pressas, num hospital de Brasília. Na manhã daquele di, Clodovil passou por exames que ajudaram a detectar a morte cerebral. Por volta das 17:00 foi declarado morto. Sua morte repercutiu na sociedade brasileira.

Durante mais de 40 anos, Clodovil atuou no mundo da alta costura. Sendo um profissional de talento reconhecido. Depois foi ao encontro do grande público através dos meios de comunicação social, principalmente, a televisão. Trabalhou em programas voltados para o público feminino na maioria das emissoras do país. Como comunicador, seu momento mais expressivo foi a participação no programa Tv Mulher, em 1980, produzido pela rede Globo. Famoso por sua língua ferina, nunca evitou a polêmica. Sempre disse o que quis. Mesmo que tal posição de independência, muitas vezes, lhe custasse o emprego. Fato que, muitas vezes ocorreu. Neste sentido ficopui famosa a polêmica envolvendo Clodovil com a equipe do programa Pânico na Tv, que lhe rendeu a demissão sumária da rede Tv.

Em 2005, Clodovil deu um passo surpreendente: decidiu entrar para a cena política. Para tanto, assinou ficha de filiação num partido nânico, o Partido Trabalhista Cristão (PTC). Lançou sua candidatura rumo à Câmara dos Deputados em 2006. Sua vitória foi surpreendente, Foi eleito com 493.951 votos, a terceira maior votação de São Paulo. Ainda, foi o deputado novato mais bem votado do país. Chegou em Brasília fazendo discurso de oposição ao governo federal e para, não perder o hábito dos tempos de comunicador, em 2007, arrumou polêmica com a Cida Diogo (PT-RJ), a quem teria ofendido com palavras grosseiras. A deputada apresentou ação contra ele na Comissão de Ética. Clodovil divulgou nota pedindo desculpas às mulheres que se sentiram ofendidas por seu comentário. A ação foi arquivada.

Completado o primeiro ano em Brasília, o parlamentar tomou novo rumo. Saiu do PTC assinando filiação no PR, que faz parte da base aliada do governo. Sua mudança não foi tranqüila, o partido abandonado tentou cassá-lo na mais alta corte de justiça do país. Sem êxito, os juízes não entenderam ser infidelidade partidária a mudança de Clodovil, aceitando o argumento de que ele sofria perseguição no PTC. Dentro da base, ele mostrou ser um bom soldado. Uma das provas foi o encontro Dilma Rousseff nos corredores da Câmara. Sem perda de tempo, Clodovil disse para ela que os votos conseguidos por ele na eleição parlamentar eram dela.

Outros fatos foram protagonizados pelo deputado. Mas a intenção desta postagem não é esmiuçá-los. Longe disso. Clodovil já não está mais aqui para se defender ou atacar. Seu sofrimento teve fim. O que se pode é louvar suas atuações que, pouquíssimas vezes, a mídia divulgou. Parece que era mais interssante divulgar as polêmicas do costureiro/comunicador/parlamentar do que suas boas ações. Poucas pessoas sabem de sua militância kardecista, onde procurava realizar ações de caridade para as pessoas mais necessitadas. Quase nada foi citado de sua ação em benefício da preservação histórica de Ubatuba, no interior paulista, onde morava. Outras ações poderiam ser citadas. Todavia agora é importante dizer: Clodovil, descanse em paz!

Aroldo José Marinho



4 comentários:

Caroline disse...

A última vez que o vi foi no casa park.

Harold disse...

Oi Caroline!
Obrigado por sua visita.
Beijos!

lunnah disse...

enteressante essa sua reportagem sobre o clodo, umas das pessoas mais polemicas da tv.. mas acho que ele foi bom naquilo que ele sabia fazer, sendo estilista, como politico, nao entendi qual era sua proposta, em fim, se tinha alguma nao deu tempo. abraços amigo......e bjus

Harold disse...

Oi Lunnah!
Obrigado por sua visita e comentário. De fato, Clodovil foi uma pessoa que a gente não pode fazer de cotna que não existiu ou que não teve talento.
Um beijo para você!!!