Pesquisar este blog

08 abril 2009

Samba de Marianne

Saudações para vocês nesta quarta-feira nublada em Brasília. Recebi e-mail de Marianne Loise Hewett, minha boa amiga australiana. Ela enviou algumas fotos. Todas belíssimas, ternurosas e poéticas. Uma delas, imediatamente, me fez lembrar uma canção escrita por Max de Castro e Bernardo Vilhena, que Max gravou em 2000. Parecia que a dupla tinha escrito, especificamente, para ela. Quis unir foto e clipe. Mandei mensagem para Austrália, atrás de autorização. Can I post your picture and video clip together?, quis saber. Sure honey! I trust in you. Foi a resposta.

Tudo resolvido seguem a foto, a letra escrita pelo Bernardo e o clipe de Max. Espero suas opiniões sobre a postagem. Tudo de bom sempre!
Harold

Samba Raro
Max de Castro- Bernardo Vilhena
Ela vai, ela vem
depois dela não tem pra mais ninguém
Samba
mexe comigo de um jeito tão raro
ama
ela sabe me enfeitiçar
me enfeitiçar, enfeitiçar, me enfeitiçar
me namorar, namorar, me namorar
samba rola na minha língua
me diz e me prova
ela sabe me provocar
me provocar, e provocar, me provocar
me excitar, me excitar, me excitar
Ela vai, ela vem
depois dela não tem pra mais ninguém
mas nada é tão claro
quanto a luz do imenso amor
que ilumina a noite
o samba raro já chegou

Max de Castro- Samba raro


2 comentários:

Lêda Maria disse...

Realmente a foto é belíssima, ternurosa e poética.Diz pra ela que mostrar a calcinha assim é feio. ;)

Boa páscoa José

Harold disse...

Amada Maria!
Obrigado por sua visita e comentário no blog. Sua presença sempre me dá alegria.
Quanto ao comentário sobre Marianne, honestamente, não quero dizer para ela sobre o que é certo ou errado. Meu papel é saber respeitar as pessoas.
Feliz páscoa.
Beijos e vida!!!
José