Pesquisar este blog

11 dezembro 2010

Julie's Day

Vocês sabem que este blog não é um espaço de coluna social. Por isso, evito citar  datas de aniversário ou fatos que são dignos das revistas de fofoca. Este espaço deseja oferecer conteúdos úteis para quem vem aqui visitar e não comunicar situações derivadas da abominável prática da puxação de saco descarada.

Todavia sou um homem justo. Por isso, não vou esquecer de informar que ontem (10/12) foi dia para comemorar a vida de Julie Graziela Zanin (foto), a gaúcha/gremista de olhar pensativo. Ela é uma das minhas melhores amizades, uma pessoa que considero referência para um monte de situações boas ou especiais. Vocês já leram postagens que escrevi sobre Julie (www. harold-joseph.blogspot.com/2006/12/o-aniversrio-da-adorvel-julie.html, www.harold-joseph.blogspot.com/2009/03/cinco-perguntas-para-julie-graziela.html).

Minha amiga tem muitas qualidades. Além da inteligência, eu poderia citar várias delas. Contudo vou apenas frisar que esta mulher de 26 anos é uma pessoa  coerente e lutadora. Alguém que não se entrega para as dificuldades, não tem medo do monstro nem fica justificando as mancadas que possa vir a cometer. Ela é uma mulher que pode mostrar um bom exemplo para outras mulheres. Alguém pergunta: Marinho, você não está exagerando? O que sua amiga fez de tão glorioso que merece citação? 

Respondo com tranqüilidade: não estou exagerando nem um pouco. A Julie tem muita história boa e admirável para contar. Mas me dou o direito de contar só uma.
 
Minha amiga (na foto comigo, no aeroporto de Porto Alegre, em 2005) fez as provas de vestibular. Infelizmente, o resultado não foi o desejado. Seu nome não constava no listão dos aprovados. Haja tristeza! Nesse momento de dor, Julie queria um colo da família, uma palavra de incentivo. Inexplicavelmente, ninguém em sua casa lembrou de lhe dizer que a vida continuava, que ela teria outra chance. Ela ficou abaladíssima.

Em momentos como esses é que aprendemos a diferenciar as meninas da mulheres. A senhorita Zanin provou que pertence ao time das mulheres. Mesmo ferida, começou a preparação para um novo vestibular. Haja estudo. Nas horas de folga, mais estudo e a tarefa de ajudar os pais no negócio da família. Então tudo passou a ter uma dimensão maior de esforço: muito estudo, muita tarefa, muita correria, muita responsabilidade.

Ela sabia que tinha que aproveitar a chance que lhe seria dada no próximo vestibular. Mas havia uma condição: só poderia tentar num faculdade pública. O orçamento familiar não lhe permitia tentar em instituições particulares. Sem dúvida, era mais uma dor no seu caminho. Mas era preciso aceitar esse fato. Foi o que fez: aceitou e aumentou seu pique de estudo.

Veio o período das provas de vestibular no Rio Grande do Sul. Seria o momento para Julie mostrar que o tempo de sua preparação não foi desperdiçado. Ela concorreu para a graduação em Biologia em três universidades federais. Provas feitas. Momentos de aguardar a divulgação dos listões universitários. O que aconteceu? Simples: o nome de Julie Graziela Zanin apareceu entre os aprovados das universidades por ela escolhidas.

Ela provou ser uma mulher batalhadora. Apesar da dor inicial, não se entregou aos lamentos nem bancou a menina mimada e chorona. Foi à luta. Venceu! Mostrou que  era digna do sonho que acalentava. Vale lembrar que, quando o fato aconteceu, Julie não tinha alcançado a maioridade. Não é notável?

Creio que sim! Fui criado num contexto onde aprendi duas coisas: valorizar as atitudes das pessoas batalhadoras; divulgar somente as notícias que ajudem a melhorar a humanidade. Por isso, fico contente por contar esta história. E  mais, fico orgulhoso por ser amigo da protagonista. E mais, ainda, por poder proclamar neste blog:

Feliz aniversário ADORÁVEL Julie!!! Segue uma canção em sua honra!

Aroldo José Marinho 

Barão Vermelho- Pense e dance

4 comentários:

Apenas Julie disse...

Querido amigo!
Fiquei muito emocionada com teu texto, com tuas palavras e todas formas de carinho com que me "atingistes" neste meu aniversário! E mais ainda neste ano em que passei por algumas decepções. Obrigada por ser esta pessoa tão maravilhosa e tão cheio de afeto. Pessoas como "tu" são raridades nesse mundo!
Grande beijo e fica com Deus! Sempre!

Harold disse...

Adorável Julie!
Legal sua visita ao blog. As coisas que escrevi expressam justiça. Isso tem valor num país que, às vezes, bate palmas para pessoas cínicas ou hipócritas.

Por isso, eu defendo que é necessário citar as pessoas boas. Os sinos devem ser tocados pela divulgação da boa notícia. Pela alegria de aplaudir gente boa como você.

Beijos e vida!!!

Etã Costa disse...

A isso chamamos amizade! :)

Informe SAB disse...

Longa vida aos bons amigos!