Pesquisar este blog

10 fevereiro 2010

Compreensão

Compreensão
Aroldo José
Os dias passam muito tranquilos,
Essa tranquilidade parece absurda.
Uma coisa bem estranha na cidade
Onde eu procuro por muita coisa,
Mas não encontro nenhum sentido.

Diversas vezes tentei entender o motivo
Das mudanças rápidas, dos atos bruscos.
Porém me convenci que é bobagem
Querer saber demais de tudo,
Sair de casa para dominar o mundo.

Descobri que quem sabe muito de tudo,
Com certeza, nada viveu.
Esqueceu que, um dia, o relógio falha,
Que o inesperado sempre há de chegar.

Quanto a mim, depois de ler as cartas,
Decidi pintar muitas camisetas,
Juntar meus trastes e moedinhas.
Para hoje mesmo ir atrás de minha vida:
Amanhã ela pode se esquecer de mim.


Macapá, 31/12/09

2 comentários:

Elisabete de Mello disse...

Você é inesquecível, Harold!

Harold disse...

Você sempre tem palavras maravilhosas para me oferecer.
Agradeço emocionado.
Beijos!!!