Pesquisar este blog

16 novembro 2010

Sol bardo

Ofereço para vocês um texto escrito por José Edson dos Santos (foto) que, como artista, assina Joy Edson. Tenho com o amigo algumas similaridades. Entre elas: nascemos na mesma cidade, Macapá no estado do Amapá (AP), vivemos  na mesma cidade, Brasília, no Distrito Federal (DF) e temos nomes semelhantes.

Além do ofício de escritor, o Zé também ataca como ator e professor. Faz parte do quadro docente da secretaria de educacação do DF. É arte-educador, além de peladeiro convicto.

Segue abaixo texto do Zé. Foi publicado na coletânea Deste planalto central – Poetas de Brasília, organizado por Salomão Sousa, lançado em 2008, pela  Thesaurus Editora.

Aroldo José Marinho


Sol bardo
Joy Edson
Depois do abacateiro
Beliscar teu céu
Conjugação dos elementos
Siderais do firmamento
A estrela do norte riscou
O silêncio do verso do avesso

Rumor do rio da infância
Preamar no olhar caboclo
Louca expiação da indolência
Engendrando flor de tucumã

Teu cheiro de pupunha no cangote
Engasga a boca de saudade
No decote aberto da manhã

Tosca vaidade de vampiro
Tatua signo secreto
Desmontado no vitral das horas
Ao resfolegar de um fagote
Sob sol bardo
Empapuçado e
Enfartante.

Nenhum comentário: