Pesquisar este blog

12 novembro 2010

Um ano sem o número 1

O dia 10 de novembro de 2009 será lembrado com muita tristeza para as pessoas que admiram o futebol alemão. Nesse dia, faleceu Robert Enke (foto). O goleiro e capitão do  Hannover 96 tinha 32 anos e não resisitiu à depressão e cometeu suicídio. O falecimento de Enke aconteceu no período em que era considerado o melhor goleiro de seu país e jogava como titular na seleção nacional. Sua presença na Copa da África do Sul era dada como certa.

O goleiro nascido em Jena, na antiga Alemanha Oriental, começou a carreira no Carl Zeiss Jena. Posterirmente, atuou nos clubes: Borussia Mönchengladbach, Benfica, Barcelona e Tenerife. Suas atuações lhe levaram para a seleção nacional. Primeiro na Sub-21, entre 1997 e 1999. No período de 2007 a 2009, ele serviu à seleção principal.
Enke cometeu suicídio num cruzamento ferroviário, em Neustadt am Rübenberge, que fica a 30 km de Hanover. Segundo Teresa, sua esposa, há sei anos o goleiro convivia com a depressão. Uma das causas foi o falecimento de sua filha, por motivos cardíacos, em 2006.
Muitas homenagens foram prestadas ao número 1 da seleção. Seus companheiros de seleção foram à AWD-Arena, estádio do Hanover 96, para um ato de respeito. Dezenas de milhares de pessoas compareceram à cerimônia.  O caixão de Enke foi colocado no meio-de-campo. Martin Kind, presidente do último clube do goleiro afirmou que "Enke foi um número um no melhor sentido da palavra. É por isso que hoje temos os corações tão pesados". O Hanover 96 decidiu aposentar sua camisa número um.



 Robert Enke, o número 1

Nenhum comentário: